Carlos Alberto Lopes de Sousa

CARLOS ALBERTO LOPES DE SOUSA

Engenheiro aposentado, escritor, membro efetivo ocupante da cadeira nº 13 da Academia Cabo-friense de Letras, fundador e ex-presidente da Associação Cultural Tributo à Arte e à Liberdade, membro efetivo, fundador e presidente de honra da Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências, ocupante da cadeira nº 01 cujo patrono é seu pai. Nasceu em 1º de junho de 1947, na cidade de Cabo Frio, mas foi registrado no Rio de janeiro onde seus pais Hermenegildo Medeiros de Souza e Alice Lopes de Souza foram residir por imposição de emprego. Casado com a professora Silvia Maria Rodrigues de Sousa é pai de Silvana, Carlos Alberto Junior e Vanessa. Este cabo-friense de coração, ainda estudante em São Paulo, fundou em 1972 com a abnegação do chefe de escoteiro José Henrique, com o apoio do então prefeito Antonio Castro e do presidente da Câmara vereador Alair Corrêa, o GAIC – Grêmio Atlântico de Intercâmbio Cultural, uma sociedade cultural filantrópica voltada para a ação comunitária e intercâmbio de todas as formas regionais de cultura, em Arraial do Cabo.

Ainda na sua trajetória, o escritor coordenou com o professor Affonso Santa Rosa a Antologia Cabo-friense, com cinqüenta e três autores da Região dos Lagos com poesias contos, crônicas e trovas e a coluna literária Mutirão Cultural no Jornal da Região.

Publicou o livro “Devassa no Outono” em 1985, ficção policial roteirizado em Cabo Frio e o conto “Valor do Texto” publicado na Antologia Cabo-friense. Está escrevendo o romance “Philomena foi à Guerra” para lançamento em 2012. Como autor dramatúrgico escreveu as peças: “Sapato Novo”, encenada no Rio de Janeiro em 1987 e no Clube Santa Helena em Cabo Frio; “Três Pontos Excitados” encenado no Teatro Municipal de Cabo Frio em 2006 e “No Reino da Corruptela que Mela”, um ensaio infanto-juvenil aguardando produção.

Adaptou e produziu a peça “Carnaval de Sereias e Vento” de Hilton Massa com o diretor Frederico Araújo em 2005, cujo espetáculo inaugurou o Teatro Hilton Massa, no Tamoyo Esporte Clube.

Amante das artes, em especial do teatro e da literatura, fundou a TribAL – Associação Cultural Tributo à Arte e à Liberdade, uma comunhão tribal de todas as artes.

Impulsionado pelo chamamento de alguns intelectuais de Arraial do Cabo, o escritor e empreendedor cultural, coordenou e foi relator da Academia Cabista de Letras, uma agremiação ampla para literatos, artistas e cientistas imbuídos do dever cívico, ético e do crescimento intelectual acadêmico.

Membro correspondente e chanceler da Academia de Artes, Ciências e Letras de Iguaba Grande. Chanceler de Honra para a cidade de Cabo Frio, título conferido pela Real Ordem do Mérito Cultural Dom João VI de Portugal através da FALASP- Federação das Academias de Letras e Artes de São Paulo. Membro Honorário da ALeART – Academia de Letras e Artes da Região dos Lagos

Atualmente é fundador e presidente da ARTPOP – Academia de Artes de Cabo Frio, fundada em 2007 com setenta e quatro artistas resgatando o espaço e realizando um sonho de um fórum permanente da arte discutida numa social academia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s